bloqueador --> bloqueador

Mulher é assaltada no Bairro Vale do Sol

Uma moradora do Bairro vale do Sol foi assaltada na manhã desta sexta-feira (3), quando fazia caminhava pela Rua Barra Mansa.

Segundo a mulher de 21 anos, andava pela rua quando surgiu em sentido contrário, um indivíduo conhecido como “Mussum”, morador do bairro São João. O marginal sacou uma arma de fogo e anunciou o assalto exigindo que a vítima entregasse todo o dinheiro, caso contrário iria atirar nela.

A mulher disse ao criminoso que não tinha dinheiro, apenas um celular. Ela entregou o aparelho para o assaltante que, após o crime, fugiu tomando rumo ignorado, sentido ao bairro José Elói. Segundo ela o autor era negro, magro, baixo, trajava camisa amarela com um quadrado de cor preta na frente, bermuda tectel preta e chinelos de dedo.

A Polícia Militar foi acionada e realizou intenso rastreamento pela região, contudo a suspeito não foi encontrado.

Moradores do Areia Preta podem fechar até linha férrea da Arcelor em protesto

Moradores do bairro Areia Preta ameaçam fechar na próxima terça-feira (7), em mais um protesto, o trânsito na Avenida Getúlio Vargas exigindo que a obra de recuperação do trecho danificado pelas fortes chuvas que caíram sobre a região no final do ano de 2013, seja executada.

Os líderes do movimento já anunciaram que pretendem se manifestar semanalmente.

Com informações de um morador, que pediu para não ter seu nome revelado, desta vez, alem de interditar o trânsito na avenida, eles pretendem também interromper o tráfego na linha férrea da ArcelorMital, entre o bairro Baú e Areia Preta, buscando chamar a atenção da empresa, que segundo eles, também deve ser responsável por ajudar na reconstrução da área danificada.

Assim como nas outras manifestações, a Polícia Militar deve acompanhar o ato na próxima semana.

Recadastramento de passe livre em João Monlevade causa transtornos a idosos

Com duas linhas de ônibus coletivo que atendem ao bairro Sion (11 e 20), em Jão Monlevade, muitos idosos têm tido dificuldades para realizarem o recadastramento do Enscon Card.

O bilhete eletrônico é necessário para garantir o transporte gratuito de idosos com mais de 65 anos.

A queixa foi denunciada pelo vereador Vanderlei Miranda (PR), que na última quarta-feira (1º) pediu o encaminhamento de um ofício ao Setor de trânsito e Transporte (Settran) da Prefeitra para que seja disponibilizada sala que possa atender aos idosos.

O vereador relatou casos de pessoas de idade avança tendo que andar longa distância para chegar ate a sede da Enscon. Todos os anos, os usuários com mais de 65 anos devem realizar um novo cadastro do Ensconcard, em até 90 dias, após o dia do aniversário.

Caso a ação não seja concretizada, o bilhete eletrônico é bloqueado. Para realizar o recadastramento, os idosos devem ir a sede da Enscon na avenida Oswaldo Lara, 500, no bairro Sion. O horário é de 8h às 11h e de 13h às 16h30, de segunda a sexta-feira. Os usuários podem utilizar as linhas 11 – Paineiras/Beira Rio e 20 – Lucília/Rodoviária. Informações: (31) 3851-4430

Morre Dona Luzia do Cartório

Aos 89 anos de idade, faleceu na noite desta quinta-feira, dia 2, no Hospital Margarida, em Monlevade, Maria Luzia de Oliveira, a "Dona Luzia do Cartório", de Monlevade.

Desde o último final de semana, ela estava internada na casa de saúde, apresentando problemas respiratórios. Professora aposentada, por vários anos, Dona Luzia foi uma referência no ramo de cartórios na região.

Ela chegou a ser eleita com o título de "Monlevadense do século", em 2001. O corpo de Dona Luzia do Cartório será velado até às 14h de hoje, no Velório Municipal de Monlevade e, em seguida, o corpo dela será levado para Rio Piracicaba, onde será sepultado, às 16h.

Policiais militares impediram, mais uma vez, que uma mulher cometesse suicídio na cidade

Policiais militares da 17ª Companhia de Polícia Militar Independente, em João Monlevade, conseguiram evitar que mais uma pessoa, em um momento de desespero, cometesse suicídio. Uma mulher de 39 anos, que não teve o nome revelado para preservar sua identidade, foi flagrada pela guarnição policial, por volta das 09h da manhã desta quinta-feira (2), no km 346 da BR-381, no trevo de acesso ao Bairro Sion, entrando na frente dos veículos em movimento na tentativa de cometer autoextermínio.

De imediato os militares tomaram a iniciativa de impedi-la, além de conversar com a mulher na tentativa de acalmá-la.

 Após dialogarem com a vítima, que estava transtornada, os policiais conseguiram convencê-la a sair das margens da rodovia e ir para a viatura, onde declarou estar enfrentando problemas pessoais, pois está internada em uma clínica de reabilitação para abandonar o alcoolismo há oito meses e, acabou perdendo a guarda da filha de nove anos.

Alegou também que ninguém confia que ela realmente tenha abandoando a bebida. A mulher, que é moradora do bairro Santo Hipólito, foi encaminhada ao pronto atendimento municipal e os militares entraram em contato com o marido dela, que ficou responsável por acompanhá-la durante o atendimento médico.

Outro caso 

 Esse foi o segundo caso, neste ano, que um policial militar consegue convencer uma pessoa a não cometer suicídio. No dia 18 de maio a soldado Letícia Moyara, estava de serviço na Sala de Operações da Unidade (SOU), por volta das 06h da manhã, momento que recebeu uma ligação de uma mulher de 21 anos, desesperada, dizendo que iria tirar a própria vida se jogando em uma lagoa, localizada entre os bairros Nova Monlevade e loteamento Jardim Vitória. A mulher disse ainda estar armada, e que nada na vida dela tem dado certo. (Relembre o caso)

Disse ainda que é usuária de drogas e que no dia anterior teria feito uso de álcool e cocaína. Em uma conversa que durou cerca de 40 minutos, e percebendo que a situação era real, e não um trote, a policial pediu apoio de uma viatura e disse para a vítima que iria até o local conversar com ela pessoalmente. A mulher foi levada ao Hospital Margarida e medicada.

Câmara de João Monlevade, Polícia Militar, Prefeitura e Emip promovem ‘Ação da Cidadania’ no próximo dia 11


A Câmara Municipal de João Monlevade, a 17ª Cia. de Polícia Militar Independente, a Prefeitura e a Escola Municipal Israel Pinheiro (Emip) irão promover no próximo dia 11, de 9h às 15h, uma grande ação de cidadania.

Juntas, as três instituições farão em um único dia o 27º Cidadão Legal, projeto do Legislativo monlevadense; a Aciso (Ação Cívico Social da Polícia Militar) e a festa da família da instituição de ensino. Durante todo o dia, diversas atividades serão oferecidas ao cidadão.

Dentre as ações já confirmadas está a expedição de carteiras de identidade, emissão de 2ª via de certidão de nascimento, inscrição para casamento gratuito, serviços de saúde como medição de pressão, cálculo de índice de massa corporal, vacinação contra hepatites B e C, teste rápido de Aids. Como lazer serão oferecidos oficinas de artesanato, apresentações artísticas, salão infantil, salão para adultos, educação ambiental e de trânsito. Consultoria jurídica e atendimento ao consumidor também estão no leque de atividades oferecidas.

Outro diferencial será a apresentação da cavalaria e canil da Polícia Militar. Para a realização das ações, as instituições firmaram parceria com empresas de João Monlevade. Segundo o presidente da Câmara, Djalma Bastos (PSD), justamente esta soma de esforços é que permite a realização do evento. “Este ano trazemos como diferencial esta parceria com a Polícia Militar, agradeço imensamente a cada parceiro, que acreditou na causa e somou esforços conosco. Oferecer este diferencial ao cidadão é uma forma de valorizar nossa população e ainda, estreitar os laços junto à comunidade”, enfatizou Djalma.

  Inauguração do 3º Pelotão da Polícia Militar

Ainda no dia 11, às 8h, será feita a inauguração do 3º Pelotão Especial da Polícia Militar que ficará junto ao Centro Social Urbano – CSU Loanda. Várias autoridades e a população local estarão presentes. A descentralização do comando da PM é uma das ações da corporação para coibir a criminalidade na cidade.

Carteiras de Identidade

Foram disponibilizadas pela Polícia Civil de João Monlevade 70 vagas para carteiras de identidade. Como o número é restrito, foi priorizado os alunos da própria escola, em especial aqueles que necessitam do documento para participar de projetos ou testes e provas educacionais. A Câmara Municipal tentou junto ao comando da Polícia Civil em Belo Horizonte a vinda de mais agente para emissão de mais carteiras. No entanto, ainda não houve retorno. Importante ressaltar que em abril, o Legislativo monlevadense promoveu um mutirão para emissão de carteiras de identidade, que permitiu a confecção de 256 documentos.

Pastor Carlinhos criticou decisão americana de reconhecer o casamento de pessoas do mesmo sexo

O vereador Carlos Roberto Lopes (PV), “Pastor Carlinhos”, sempre que se dirige à tribuna durante as reuniões da Câmara, de João Monlevade, se espera um discurso polêmico e, quase sempre, isso acontece. Durante a reunião desta quarta-feira (1º), não foi diferente. O vereador criticou o reconhecimento constitucional da Suprema Corte dos Estados Unidos ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, anunciado pelo presidente Barack Obama durante a vista da presidente Dilma Rousseff à Casa branca, nesta semana.

O vereador afirmou que, para ele, o casamento entre pessoas do mesmo sexo é uma afronta aos princípios familiares. “O que aconteceu nos Estados Unidos para mim é uma decepção total. Não sou homofóbico, mas é uma tristeza. Sodoma e Gomorra está bem claro pra todo mundo ver, e no Brasil a nossa presidente e o ex-presidente pintou-se também. É uma vergonha. Eu acho que não é padrão de um presidente e de um ex-presidente. Eles tem que colocar é uma coisa moral. Não quero discussão neste sentido, mas a família é homem e mulher, não adianta. Fora disso não se fazem casamentos, os outros casamentos que se têm por aí é uma falácia [pessoas do mesmo sexo]. Estão tentando arruinar. As pessoas tem que ir é para Deus”, disse enfático.

“As nossas famílias estão sendo extintas, acabada, destruída por leis e tentativas de leis para deprimir a nossa sociedade. A família é o último reservatório moral da nossa nação. Se ela cair o povo realmente vai estar na lama. O pastor citou trechos da Bíblia para argumentar o seu discurso. Nenhum outro vereador debateu o assunto.

Hospital Margarida regulariza pagamentos médicos

A direção do Hospital Margarida enviou na tarde desta quinta-feira (2), uma nota à imprensa informado que a unidade de saúde terminou no mês de junho o pagamento em atraso, desde outubro de 2014, dos profissionais do corpo clínico.

Segundo a nota, o acordo feito com os médicos no mês de março definiu pela quitação parcelada desses valores. Disse ainda que o Hospital Margarida iniciou o mês de julho com todos os compromissos financeiros em dia, e não há débitos pendentes de pagamento com pessoal, impostos, encargos sociais, fornecedores, médicos incluindo todas as parcelas dos financiamentos.

O provedor do Hospital Margarida José Alberto Grijó falou que isso só foi possível graças aos repasses. “A manutenção dos repasses municipais, estaduais e federais, em dia, é de fundamental importância para nós, é através dessa regularidade que podemos cumprir nossos compromissos” disse ressaltando que foi muito importante o acordo com os médicos, “agradeço muito aos médicos, eles compreenderam a nossa situação, se não conseguíssemos esses repasses em dia, não poderíamos cumprir o acordo com eles” afirmou o Provedor.

 Segundo José Alberto Grijó o objetivo agora é trabalhar cada vez mais para manter essa regularidade com os pagamentos. “Estamos com todos os nossos serviços funcionando, precisamos garantir a manutenção deles e da qualidade prestada” disse o Provedor ao se lembrar que em função dessa estabilidade o Hospital Margarida está hoje com Maternidade, Pediatria e Pronto-Socorro, além das demais clínicas completos.

Secretaria de Meio Ambiente é mais uma vez alvo de críticas na Câmara

O vereador Teles de Assis Guimarães (PP) tentou responder a uma crítica feita pelo colega, Pastor Carlinhos (PV), durante a reunião da Câmara da semana passada, onde o pevista disse que o Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de João Monlevade “é um mais um cabide de empregos” da cidade.

A crítica teria sido motivada após uma denúncia, feita por ele ao órgão, de uma queimada que estava acontecendo de forma irregular na cidade, e teve como resposta, “que o departamento estava impossibilitado de atendê-lo”. Teles disse que foi procurado pela secretaria para ser porta voz de uma resposta às críticas do parlamentar. “Pediram que eu falasse a respeito de cabide de emprego. Com todo respeito Pastor, lá tem cinco funcionários. Dois deles efetivos e três no processo seletivo (um engenheiro ambiental e dois fiscais). Deixaram aqui uma relação diária de suas atividades, e vou passar uma cópia em mãos para o Pastor e eles estão se colocando à disposição para quaisquer esclarecimentos”, disse Superação.

“Eu só acho que demonstrou claramente que é uma secretaria sem competência, porque primeiro com todo respeito ao nobre vereador, eu represento como vereador, e quem falou fui eu. Então demonstra que a Secretaria de Meio Ambiente é avacalhada, bagunçada, sem comando, e continuo falando, o relatório não era para responder a mim não, mas para a sociedade. Eu faço a crítica daquilo que o pessoal tem me cobrado, eles que respondam para o povo, eles não trabalham pra mim. Vou receber mas, demonstrou mais uma vez que é uma secretaria fraca”, criticou.

Teles ainda tentou justificar, comparando o setor com o das cidades vizinhas. “O legal também, que comparando com cidades vizinhas, São Gonçalo tem 38 pessoas e aqui em Monlevade são apenas 05 tá”, defendeu o vereador.

De volta á tribuna Pastor Carlinhos continuou alfinetando. “Olha bem, com todo respeito. Eu acho que denigre o próprio prefeito. Falar que São Gonçalo tem mais funcionários na secretaria que aqui. Demonstrou, olha se eu fosse o Executivo, mandava todo mundo embora. Denegriu o próprio Executivo da nossa cidade dizendo que eles não tem funcionários e nem condições nenhuma de trabalhar. Então fecha a secretaria, escapa de dizer que a Prefeitura não está dando cobertura nenhuma pra eles, e não adianta remendar porque ta ficando cada vez pior”, concluiu.

Câmara ganha mais um meio de divulgação dos trabalhos dos parlamentares


As reuniões das Câmaras de vereadores, de João Monlevade e Itabira, contam agora com mais um meio de comunicação para levar à população as informações sobre os atos dos parlamentares.

Todas as reuniões serão filmadas, através de uma trabalho independente, e após passar por uma edição, os vídeos serão postados em um site, com domínio ainda a ser definido.

A equipe coordenada pelo produtor Emerson Duarte, conta com duas câmeras de alta definição e uma equipe treinada. O jornalista Everton Elias, ficará a cargo das entrevistas.

Segundo Emerson Duarte, o projeto inovador é uma parceria com o “Grupo Hora H de Comunicação”, de Itabira, que possui jornais impressos Diário de Itabira e, em João Monlevade, o jornal Diário do Vale.

Os parlamentares aprovaram a iniciativa e elogiaram o novo projeto.

Segundo o vereador e presidente da Câmara de João Monlevade Djalma Gomes Bastos (PSD), novo empreendimento vem para somar com os demais órgãos de imprensa da cidade. “É um projeto independente e acredito que vai contribuir muito para levar mais informação à população. A imprensa de Monlevade já faz um trabalho maravilhoso e o Luiz Miller e sua equipe vem para somar, e com isso ganha a população que tem mais uma opção de se manter bem informada”, disse Bastos.

Sinval Dias (PSDB) também elogiou a imprensa de João Monlevade e disse que é uma das poucas do estado, que realiza a cobertura das reuniões semanalmente. “A imprensa de João Monlevade é uma imprensa séria, que leva a informação com transparência para o cidadão. Agora que vamos ter também a imprensa televisiva, vai ficar melhor ainda”, disse. Belmar Diniz (PT) também comentou sobre o novo empreendimento do Grupo Hora “H”. “Quero parabenizar oi Luiz Miller e toda sua equipe que está aqui fazendo a cobertura da nossa reunião, espero que seja proveitoso. É uma forma de levar os nossos trabalhos à toda sociedade, para conhecer seus representantes e a intenção de cada um em prol da cidade”, concluiu Diniz.

Cancelamento de cirurgias em hospitais da Capital preocupa vereadores

O cancelamento pela Prefeitura de Belo Horizonte das cirurgias eletivas para pacientes que não residem na capital preocupa os vereadores de João Monlevade, já que pacientes da cidade ficarão sem atendimentos.

Os parlamentares estão temerosos também que moradores dos municípios da região sobrecarreguem o Hospital Margarida para a realização dos procedimentos. A medida está em vigor e ocorre devido redução de R$ 4,5 milhões mensais para o custeio das operações na capital.

O vereador tucano, líder do prefeito Teófilo Torres na Câmara, Sinval Dias (PSDB), que também integra a Comissão de Saúde do Legislativo disse que irá procurar a Amepi para que juntos encaminhem um ofício à Assembleia Legislativa de Minas pedindo esclarecimentos sobre o assunto. “Somos representantes do povo e precisamos dar uma resposta para a população”, disse o vereador que completou: “eram 60 hospitais na capital que realizam estas cirurgias.

Só no ano passado foram mais de 20 mil atendimentos, sendo 40% de cidades do interior”. “A suspensão vai sobrecarregar João Monlevade, que é cidade polo. Os municípios menores vão recorrer ao Hospital Margarida”, disse preocupado o vereador Leles Pontes (PRB).

O corte

 De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de BH, a padronização em relação ao repasse dos recursos para o Programa de Incentivo às Cirurgias Eletivas, anunciada pelo Ministério da Saúde, deverá representar uma redução de R$ 4,5 milhões mensais para o custeio das operações na capital. Ainda segundo a nota, a Secretaria de Saúde disse que está em diálogo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) e com o Ministério da Saúde para manter a continuidade ao Programa de Cirurgias Eletivas em toda a sua capacidade, atendendo também a não residentes da capital.

Mulher fingiu gravidez para não perder marido e precisava de um bebê

A morte da grávida Patrícia Xavier da Silva, de 21 anos, desaparecida na última sexta-feira (26) e encontrada apenas nessa terça-feira (30), sem o bebê, foi esclarecida pela Polícia Civil nesta quarta-feira (1°).

Em uma reconstituição do crime, Gilmária Silva Patrocínio contou como assassinou a vítima para roubar a criança.

Segundo o delegado de homicídios Silvério Rocha Aguiar, a versão apresentada por Gilmária, que é cuidadora de idosos, é a que mais se aproxima da verdade. Ela conta que já tinha quatro filhos com outra pessoa, mas com medo de perder o atual marido, fingiu que estava grávida, apesar de já ter ligado as trompas.

Ela passou nove meses simulando a gestação, até a última sexta-feira, quando abordou a vítima na saída do hospital. Patrícia e Gilmária já se conheciam, de uma ocasião em que Gilmária colocou um piercing em Patrícia a pedido dela. Na saída do hospital, Gilmária contou que tinha um berço e roupas de bebês para doar á vítima e, assim, a atraiu para a Fazenda Estivas, local próximo a onde aconteceu o crime.

Ao chegar no imóvel abandonado, onde funcionava um hospital, Gilmária pegou um pedaço de pau e atingiu Patrícia na cabeça. A suspeita usou a bolsa da vítima para amarrar as mãos dela para trás. Depois ela deu um golpe com o pedaço de madeira no pescoço da grávida, que ficou desacordada. Com um gilete, Gilmária fez duas incisões na barriga da mulher, retirou o bebê do útero e o enrolou na placenta. Depois ela colocou a criança em um pano, pegou um táxi e foi para a casa.

Gilmária conta que fez tudo sozinha, mas a polícia ainda investiga a participação de outras pessoas no crime. O outro suspeito que foi detido, de 39 anos, disse que não tem nada a ver com o crime, que é um morador de rua, mas conta que passava perto do local na ocasião e viu um homem e uma mulher carregando um corpo. Em outra versão, no entanto, ele conta que foram dois homens e uma mulher carregando um corpo.

O falso parto 

Na sexta-feira, ao chegar em casa com o bebê, Gilmária ligou para o marido, que estava no trabalho, e disse que estava tendo contrações.

O homem disse que não tinha como sair do trabalho e falou para a mulher ligar para os bombeiros. Quando os bombeiros chegaram, ela estava com criança no colo. O bebê recebeu os primeiros socorros e ele e a mulher foram levados do hospital.

Um médico da unidade que consultou a mulher concluiu que seria impossível que ela tivesse acabado de ter um filho. Juntando o fato de que a mulher era uma falsa grávida e que uma verdadeira grávida havia desaparecido no mesmo dia na cidade, a polícia concluiu que se tratava da principal suspeita do crime.


Duas testemunhas também viram uma mulher com as características de Gilmária junto com Patrícia nas proximidades da Fazenda Estiva, no dia do crime.

O delegado esclarece que depois de a suspeita apresentar várias versões do crime, essa última é que a mais se aproxima da verdade. O marido de Gilmária foi ouvido e liberado. Ele conta que a mulher não apresentava todos os sintomas de gravidez, mas que ele nunca desacreditou que ela pudesse não estar grávida.

Exame de DNA

O delegado pediu urgência no resultado do exame de DNA da criança encontrada com a cuidadora de idosos. Familiares de Patrícia e seu companheiro já disponibilizaram material genético para a realização do exame.

Entenda o caso

Na última sexta-feira (26), Patrícia, aos 9 meses de gestação, saiu de sua casa por volta de 7h30 no bairro Cidade Nova para ir ao hospital Nossa Senhora das Dores, no centro de Ponte Nova. Ela foi vista entrando e saindo sozinha do local, mas depois disso, não havia sido mais localizada.

A família então registrou queixa sobre o seu desaparecimento. Aquela seria a última consulta de pré-natal antes de Patrícia ter o bebê, um menino. Nessa terça-feira (30), o corpo de Patrícia foi encontrado perto de uma caixa d´água, no bairro Vale Verde, um bairro de ligação à zona rural da cidade, afastado do centro. Perto do local, havia uma lavanderia abandonada onde foram encontrados restos de comida, cobertor, um papelão, e outros indícios de que a vítima havia sido mantida em cativeiro antes de ser assassinada.

O corpo estava com a boca amordaçada com uma fita adesiva, mãos e pés amarrados, um corte no pescoço e outro grande corte na barriga, semelhante a uma cesária. O bebê havia sido retirado do ventre da mãe. Já na manhã desta quarta-feira, a polícia prendeu três suspeitos do crime, inclusive Gilmária, que confessou por volta de 15h a autoria do crime e o motivo: queria ficar com o bebê. A criança que estava com ela está em um local seguro, segundo a Polícia Civil.

Powered by Blogger